Saturday, February 20, 2016

Marília Pêra em 1975

Amiga TV
Data de Publicação: 08/01/1975
Autor: Rogaciano de Freitas
MARÍLIA: UM FILHO PARA CURTIR
Ela está tranqüila e faz planos para depois do parto

Marília Pera não tem mais tempo para pensar em TV: agora é a vez do bebê. Televisão, só de vez em quando e, teatro, fica só para depois que ele nascer: "Depois de grávida, só à base de cachê, porque tão logo terminaram as gravações de Supermanuela pedi rescisão de contrato com a Globo. Não estava mais agüentando trabalhar. Precisava parar para dar uma pensada na carreira, quando pintou a gravidez. Também não pretendo ir para outra emissora, Enquanto puder vou trabalhando por cachê, fazendo trabalhos leves. O processo de gravações estava muito cansativo para mim." A respeito de futuros trabalhos em teatro, Marília ainda vai pensar: "Gracindo Júnior me procurou outro dia para me convidar a dirigir um espetáculo que ele pretende fazer. Trata-se do monólogo Corpo a Corpo. Tive de pedir alguns dias para pensar porque nunca dirigi. Será uma experiência nova, que estou inclinada a aceitar. Fora isso, recebi uma proposta para trabalhar na peça Pano de Boca, de Fauzi Arap, com nove personagens. Eu faria uma delas. Estou lendo, é uma peça interessante porque fala de gente e coisas de teatro. Mas isso é só para depois do parto.- Com seis meses e meio de gravidez, Marília Pêra, está passando muito bem. "Esta gravidez está sendo excelente, sem problema nenhum. Na primeira, apesar de ter passado bem durante todo o período de gestação, tive de trabalhar até 15 dias antes de Ricardo nascer. Hoje, felizmente, estou mais tranqüila, não tive enjôos, não engordei e meu peso só aumentou por causa da barriga. Não sei porque, mas as pessoas dizem que toda gestante fica nervosa. Comigo aconteceu justamente o contrário. Estou tranqüilíssima. Acho que as pessoas só ficam nervosas quando a cuca já está meio confusa." Assim como Marília, toda a família está curtindo a chegada do bebê: "Acho às vezes muita graça porque Joaninha, a filha de Nélson Mota, passa todos os fins de semana aqui com a gente e a toda hora fica querendo sentir se o bebê está mexendo. Depois, brinca com meu filho Ricardo César, de 13 anos, dizendo que este bebê é só irmão dela. Essas alegrias todas têm transformado minha gravidez na coisa mais maravilhosa que existe."

No comments:

Post a Comment

Followers