Saturday, December 20, 2014

1980 - Os Artistas Afilhados de Chacrinha

Jornal do Brasil
Data de Publicação: 2/11/1980

QUEM É QUEM SEGUNDO ABELARDO BARBOSA


Em rádio e TV, Chacrinha atravessou todos os movimentos musicais brasileiros. Muitos dos artistas que hoje são campeões de vendagem de discos no pais - Roberto Carlos, Gal Costa, Clara Nunes, Martinho da Vila e Beth Carvalho, por exemplo - deram alguns dos primeiros passos de suas carreiras nos programas do Velho Guerreiro. Outros, até, como calouros: Joanna, Fábio Jr., Leci Brandão, Cláudia, Perla, Alternar Dutra, Paulo Sérgio e Ricardo Braga (os dois maiores imitadores de Roberto Carlos), Djalma Pires e Christian.

Na Jovem Guarda desfilaram frente ao auditório de Chacrinha o "Rei" Roberto Carlos, o "Tremendão" Erasmo Carlos e a "Ternurinha" Wanderléia. Uma época prolifera em brotos e pães: Ronnie Von, Márcio Greyck, Leno e Lilian, Cely Campello, Jerry Adriana, Wanderley Cardoso, Deni e Dano, Sérgio Murilo, Waldirene, Rosemary, Martinha, Eduardo Araújo, Silvinha e outros tantos. Inesquecível a apresentação de Rita Pavone de martelo em punho.

Mas nem só do iê-iê-iê viviam os programas, que a estas pessoas somavam artistas dos mais diversos gêneros como Nelson Ned, Dóris Monteiro, Agnaldo Rayol, Agnaldo Timóteo, Teixeirinha, Ciro Monteiro, Orlando Silva etc. Uma miscelânea que perdura até hoje. Na mesma noite se pode ver Gonzaguinha, Gilliard, Ângela Ró Ró, The Harmony Cata, 14 Bis, Christian, Gretchen, Cauby Peixoto, Fátima Guedes, Roberto Leal.

Em determinado dia o empresário Guilherme Araújo foi à casa de Chacrinha para juntos planejarem uma grande festa de lançamento da Tropicália e assim foram promovidas A Noite do Abacaxi, A Noite da Banana, uma verdadeira salada de frutas.

- Depois do sucesso, dificilmente há retomo. Quando as pessoas sobem aos píncaros da glória, desaparecem e só voltam quando estão pelo chão. Os empresário dizem que não tem data, horário ou o cachê é multo alto, e eu não posso pagar. Mas Clara Nunes, Alcione, Fafá de Belém, Fábio Jr., Joanna, Fátima Guedes, Beth Carvalho vêm sempre que podem.

O que o Velho Guerreiro tem a dizer sobre estes artistas:

. Roberto Carlos: "Ele era cantor mascarado no meu programa e imitava o João Gilberto. É um cantor que agrada a gregos e troianos, em Piabetá ou no Madison Squara Garden. No, duro, no duro, o artista quer ser popular. Mas eu gosto mais das músicas antigas dele."

. Gal Costa: "Ela se apresentava ainda como Maria da Graça e só cantou no meu programa por insistência do Guilherme Araújo, na época da Tropicália. Desafinava do começo ao fim."

. Elis Regina: "Cantava boletos na época. Hoje, não vem ao programa. Não gosto dos seus discos porque ela assassina todas as músicas antigas que grava. Eu, se fosse o dono delas, proibiria"

. Baby Consuelo: "Usava um espelho na testa, logo que começou. Depois do sucesso, não voltou."

. Martinho da Vila: "Me implorava para cantar e recebia Cr$ 50 de cachê. Hoje, não vem ao meu programa. É um dos desaparecidos."

. Jimmi Cliff: "Não era moda e ninguém nem o conhecia quando veio ao meu programa, na época dos festivais."

. Maria Bethânia: "Dos baianos, foi quem eu nunca vi. Tenho a maior vontade de trazê-la, mas o cachê é muito

. Chico Buarque: "Eu sempre disse que ele faz música para a grande massa. As pessoas que o cercam é que o colocam numa redoma. Ê um que eu gostaria muito de trazer."

. Oswaldo Montenegro, Alceu Valença e Raimundo Fagner: "Agonia é a música preferida dos calouros e é muito difícil. Uma voz média não consegue. Oswaldo e Alceu (eu adoro o Coração Bobo) já cantaram na Discoteca. O Fagner, eu prefiro como compositor, mas Coração Alado é uma das músicas que eu mais gosto de ouvir atualmente. Estes três, se souberem trabalhar bem suas carreiras, têm tudo para alcançar ótima posição na música brasileira."

. Jessé, Sandra Sá, Fernanda, Júlia Graziela, Miramar, Gilliard, Gretchen: "São nomes novos que tem tudo para se firmar. Gretchen faz oito shows, em média, por semana, em todo canto do pais. Se eu insisto em A,B,C ou D é porque algo dentro de mim diz que vai dar certo. A primeira vez que Júlia Graziela se apresentou no meu programa, cheguei em casa e a minha mulher estava cantando Minha Secretária. Ora, a minha mulher é do povo. Pedi três meses de exclusividade à gravadora para que a Júlia Graziela só cantasse nos meus programas".

Os critérios de seleção musical do Velho Guerreiro são simples:

- Não tenho preferências. Penso como o povo: música boa é a que está em evidência.

Radialista durante muitos anos e trabalhando sempre com música, Chacrinha aponta as outras canções que, hoje em dia, escuta em casa: Reunião de Bacana com o Exporta Samba, Morena de Angola com Clara Nunes, qualquer gravação d'A Cor do Som, Clareana e Feminina, de Joyce, Quero Conhecer-te, na voz do Sidney Maga', Fofoqueira, com Ismael Carlos, Frevo Mulher com Amelinha, Pontos de Interrogação e Sangrando com Gonzaguinha, Bastidores com Cauby, Porto da Solidão com Jessé, Demônio Colorido com Sandra Sá, Mania de Você e Chega Mais de Rita Lee. O gosto eclético é logo justificado:

Não sou radical. Gosto de tudo desde que sinta a música. As rádios, como o Brasil, são muito radicais e deveriam tocar realmente o que está agradando, o que o público quer ouvir. Mas não. Daí a grande quantidade de rádios desligados.

No comments:

Post a Comment

Followers