Tuesday, March 18, 2014

1978 - Profissionais contra Dancin' Days

Jornal do Brasil
Data de Publicação: 21/8/1978
[carta]
PROFISSIONAIS DEPRECIADOS

A propósito da telenovela Dancin'Days queremos tecer alguns comentários, no sentido de esclarecer fatos que para nós têm grande importância. A Fisioterapia aborda a saúde com as mesmas apreensões e preocupações que a Medicina, Psicologia, a Odontologia etc. Deve ser tratada, por isso, com dignidade, a fim de que as questões da saúde sejam discutidas de forma real, sem mistificar, sem iludir nem confundir. Dancin'Days vem abordando a Fisioterapia e mergulhando numa grande confusão a população, que em última análise é a beneficiária do trabalho dos fisioterapeutas. A confusão com Educação Física, com Fisioterapia de cursinhos e com outras coisas é prejudicial a todos: à população, à Educação Física e à Fisioterapia. Os fisioterapeutas entendem que a sua profissão deve ser tratada como ela é e, logicamente, como eles pretendem que ela venha a ser. Isso inclui obrigatoriamente a abordagem da luta dos fisioterapeutas contra o exercício ilegal da sua profissão e pelo fortalecimento das entidades que defendem o exercício e a dignidade profissionais. Na vida, a profissão ainda é exercida ilegalmente como retrata Dancin'Days, em meio a grande confusão. Pessoas não habilitadas e sem a formação necessária e obrigatória agem em nome da Fisioterapia, em prejuízo da saúde da população. Na verdade não fazem Fisioterapia, uma vez que a correta prescrição e a execução da mesma envolvem um grau de complexidade somente acessível quando se detêm eficazmente os conceitos de anatomia, de fisiologia e da patologia. Nesse processo muitas vezes o nome da profissão é atingido e o profissional depreciado em sua verdadeira formação. E o pior é que a saúde dos que procuram tratamento é ludibriada. É justo que se informe que a profissão é reconhecida por lei através do Decreto-Lei 938 de outubro de 1969, dispõe de Conselho Federal e Conselhos Regionais, sendo por isso mesmo classificada como de nível superior e atualmente com um currículo de quatro anos nas universidades e nas escolas isoladas. - [ass.] - 22 assinaturas - Rio de Janeiro.

No comments:

Post a Comment

Followers