Saturday, January 4, 2014

1975 - O Rebu Chega Ao Fim

Amiga TV
Data de Publicação: 2/4/1975
Autora: Daise Prétola
QUEM GOSTOU DESTE REBU?

O Rebu, novela de Bráulio Pedroso para a TV Globo, está em seus capítulos finais. Mas um outro rebu está se formando. Quem gostou? Quem não gostou? Valeram tantas inovações. De acordo com a opinião de pessoal de televisão e críticos, a aceitação foi favorável.

Ziembinski, o Conrad Mahler, acha que ''O Rebu foi uma das mais importantes novelas dos últimos tempos. ''Como intérprete, vou me restringir a opinar sob o prisma que me diz respeito. O tratamento dado ao texto o sua adequação à imagem resultaram em algo novo e conseguiu uma reação positiva na maioria do público, sem divergências de classes. Isto, para mim. é uma de suas grandes virtudes, pois, todos nós, participantes de O Rebu, nos sentimos gratificados. Não quero dissertar sobre o que foi feito de novo. Parece-me que a novela tanto interpretativamente como em realização foi uma tentativa no sentido de uma linguagem nova, falada e ouvida."

Mas Régis Cardoso, o diretor de Escalada, achou o texto muito hermético: ''O público que assiste a novelas, de modo geral, o faz ocupado em alguma outra coisa. As pessoas não podiam se distrair um segundo vendo O Rebu, porque perderiam o sentido da trama. Um texto muito bom, mas não foi apreendido por esse motivo. Se fosse no cinema, seria excepcional, pois lá os ruídos são eliminados."

"Um dos mais importantes passos que foi dado pela TV'', diz Francisco Cuoco. que acompanha a novela ''É que a maioria do público comentasse que não entendia. Para mim, é a colocação muito clara dos conflitos mais íntimos dos personagens. Um verdadeiro mergulho para dentro de cada um. Parabéns à equipe." Outro a quem a renovação de Bráulio Pedroso tocou muito foi Nei Latorraca." Obrigou as pessoas a pensarem. A idéie da festa, do flash-back, o público apreende sem didática. Uma critica à sociedade sem preocupem de Ibope''. O crítico Mister Eco diz que está gostando mais do rebu de Lou e explica porque. "Fazer uma novela em três tempos não me parece uma idéia muito feliz em se batendo de um seriado, quando unidade e definição devem ser claras e precisas. O Rebu complicou demais as coisas, sobrepujando-se em seu tempo com um espetáculo de técnica, o que, afinal de contas, não interessa ao público que assiste a novelas. Tirando-se os flash-backs e outros recursos técnicos, sobrou de Rebu uma história chocha e chinfrim''.

Muriel Macedo Soares. da sociedade carioca, adorou: "Antes de mais nada, destaco os grandes desempenhos de Ziembinski, Cados Vereza a Teresa Raquel. No princípio, achei monótona. Depois, com os problemas dos personagens sendo destacados, a novela cresceu. Valeu, também, porque o público gosta de espetáculos luxuosos."

Jornalista e professor de Comunicação no Rio, Roberto Quintais acha que ''a técnica não fosse a melhor valaria ainda, porque rompeu com os vícios que o sucesso fácil, sem concorrência, consagrou.''

''Público classe A - no sentido intelectual e não econômico acostumado com o velho estilo linear da televisão, surpreendeu com o rompimento de uma estrutura já desgastada. Isto é animador.'' Da pequena enquête feita ao público em geral, Francisca Eugênia Braga achou "diferente, embora não entendesse bem algumas passagens. A riqueza da novela foi um ponto positivo''. Pedro de Sousa, funcionário público, não tem paciência de esperar o envolvimento da novela. Parou de assistir. "Achei parada demais." Elza de Sousa, comerciaria, achou ''o principio meio enjoado''. Depois gostou. Já Violeta Puppin, intérprete, achou que a novela causou muita discussão.

No comments:

Post a Comment

Followers