Thursday, June 6, 2013

1994 - Entrevista com Gugu

Jornal do Brasil
Data de Publicação: 26/11/1994
ENTREVISTA COM GUGU LIBERATO
Nem ele sabia que sua porção ator estava tão à flor da pele. "Foi uma surpresa pra mim", diz Gugu Liberato que, desde julho, vive pelo menos dois personagens diferentes a cada domingo no Táxi do Gugu, uma daquelas brincadeiras que o SBT adora fazer, pregando peças em incautos pelo meio da rua. A idéia surgiu quando Gugu ia de Nice para Cannes, na França, um táxi dirigido por um motorista que, tão engraçado, parecia personagem. Pensei: e se eu me transformasse e as pessoas desabafassem seus problemas comigo?" De banco sentimental, a idéia acabou virando cenário para as mais diferentes brincadeiras (às vezes de gosto duvidoso) com o espectador. Tem gente que se aborrece. Outros adoram. Um deles é Gugu, que mandou até mudar a cor do táxi. ''Esta já ficou muito manjada".

- Como surgiu a idéia do Táxi?

- Hoje todo mundo tem tanto medo que o único lugar onde a gente fala com um estranho é no táxi. No início, pensei em fazer um quadro mais comportamental. Mas na primeira experiência as gravações foram tão fraquinhas que nem foram ao ar. Aí percebemos que só comportamento não dava e criamos as situações.

- E a audiência do programa?

- Somos líderes no horário. Tanto que a Globo já mudou a programação duas vezes. E continua perdendo. Domingo passado, segundo o Ibope, tivemos em São Paulo 20 pontos, contra 16 da Globo na primeira exibição. Na reprise, ficamos com 21 e eles, 17.

- Como descobriu sua porção ator?

- Nem eu sabia dela. Fiz três filmes com Os Trapalhões, mas eu era o Gugu mesmo. Agora estou me surpreendendo.

- E como você compõe os personagens?

- Tenho uma equipe muito boa de maquiador e cabeleireiro, as partes mais complicadas da caracterização. Mas para fazer laboratório uso o espelho da minha casa.

- Este tipo de brincadeira não é constrangedora para o espectador?,

- Olha, nós damos cachê para quem participa, sempre pegamos autorização e quando as pessoas descobrem o que é, gostam. Mas tem gente que não autoriza.

- Já passou por algum apuro?

- Uma vez, um rapaz ficou tão apavorado que tive medo que saltasse do carro em movimento. A partir daí, as portas só destravam se eu acionar.

- É você quem cria as situações?

- É tudo feito em equipe. Por mais que pareça, não é fácil bolar as brincadeiras.

- Por que você acha que fazem sucesso quadros em que o espectador paga mico?

- A gente não dá risada de alguém quando cai ou tropeça? Então. Acho que é essa coisa meio pastelão que agrada.

- É verdade que vocês quando não conseguem alguém que caia na piada, contratam?

- No nosso caso, não. Mas já soube que existem pegadinhas por aí que fazem isso..- Quem faz isto? Não sei. Não me comprometa,

No comments:

Post a Comment

Followers