Saturday, May 8, 2010

1976 - Airton e Lolita Rodrigues

Movimento
16/8/1976
Inimá Simőes
==========



O PROGRAMA DA ''FAMAAÍLIA BRASILEIRA''


Há quase trinta anos no ar, o programa ''Clube dos Artistas'', com o casal Airton e Lolita Rodrigues, ainda alimenta as aspiraçőes de uma grande faixa da sociedade brasileira

Na falta de recordes em competiçőes esportivas internacionais, o Brasil vai juntando suas marcas mundiais no setor de rádio e TV. Este ano já foram anunciados pelo menos tręs campeőes de longevidade. Alziro Zarur (seu programa teria alcançado 33.000 audiçőes em todo o país completadas em julho, embora năo ficassem esclarecidos os critérios usados para se concluir pela quebra do recorde mundial), Aerton Perlingeiro com o "Almoço com as Estrelas"pela Tupi (TV) do Rio que atingiu as 1040 apresentaçőes correspondentes a 16 anos no ar. E o "Clube dos Artistas", também das Emissoras Associadas, considerado o programa mais antigo da TV Brasileira, talvez do mundo.

O casal de apresentadores, Airton e Lolita Rodrigues, responde pela conduçăo do "Clube", que foi ao ar poucos meses após a inauguraçăo da TV Tupi de Săo Paulo, a primeira emissora brasileira a transmitir imagens, em setembro de 1950. Em todo esse período o "Clube dos Artistas" já teve vários apresentadores, mas a perfeita identificaçăo só ocorreu com Airton e Lolita,responsáveis pela "marca" do programa.

Todas as sextas-feiras, durante duas horas, os telespectadores assistem ao desfile de convidados do "Clube" - artistas, políticos do interior, debutantes, rotarianos, etc - que invariavelmente compőem um quadro no mínimo anacrônico de nossa sociedade (e saudosista). Estruturado como um clube (mesas, pista de dança) onde as pessoas só dizem coisas agradáveis e difundem mensagens de otimismo, o programa se revela um digno sucessor de outro que em sua época áurea trouxe muito prestígio ŕ apresentadora Hebe Camargo.

Acabando de comemorar 25 anos de casados (com missa televisionada), o casal Airton - Lolita vem correspondendo a certas identificaçőes do público, hipoteticamente situados numa faixa intermediária, tanto ao nível etário quanto social. Da sua estréia até os dias de hoje, o "Clube" já sofreu inúmeras modificaçőes. Mas a sua essęncia continua intocada,o que se constitui no motivo de sua audięncia e sucesso (segundo o Diário da Noite, de Săo Paulo, em 1973 o programa conseguia até 80 pontos de audięncia em Belém do Pará, além de muito sucesso no S u do país). Esse fator básico é explicado como sendo a combinaçăo de simplicidade, informalidade e despretenciosidade. Isto funciona como um perfeito cartăo de visitas para o casal de apresentadores entrar nos lares brasileiros. O Airton, de sua parte, lembra alguém bonachăo, meio carpirăo, que nunca fez mal a ninguém. Nem aos convidados (que sempre recebe com carinho), nem ao telespectador a quem nunca feriu com observaçőes mais críticas ou severas. Numa entrevista ŕ Folha de Săo Paulo de 26 de julho de 1973 ele afirmava: "Nós temos conseguido um certo prestígio para o programa. Năo é um. 'mundo căo' . Poderá ter suas deficięncias mas nunca será um 'mundo căo' . Nós temos uma linha de apresentaçăo - moderaçăo - a ponto de ser o programa que maior número de cardeais apresentou na TV".

Airton e sua esposa săo os depositários desse segmento da classe média que se defende das circunstâncias através dos mitos familiares. A comemoraçăo das bodas de prata do casal tem essa funçăo no "mundo conturbado e confuso de hoje, servindo como um reforço do conjunto de normas que configura o caráter social do público do programa.

Deixando todos ŕ vontade, o "casal harmonia", continua recebendo os "amigos" de uma maneira bem brasileira, fazendo jus ŕ nossa fama de hospitalidade. Isso cai como uma luva para o telespectador, uma vez que eles săo apresentados como "iguais". "Nós somos o que vocęs săo", poderia ser a filosofia da dupla, o que permite que se fixem nesse ponto os mecanismos de projeçăo e identificaçăo do telespectador.

Nessa condiçăo de depositários de um bem comum e a serviço de um quadro de valores estabelecidos e cristalizados é que eles fundamentam sua continuidade rente ŕs câmeras. Airton falando de sua filha e de sua esposa ilustra significativamente essas afirmaçőes. "Minha filha me faz um homem orgulhoso". "Lolita torce e vibra como qualquer telespectador. Faz parte de sua personalidade ser uma esposa simples e sem afetaçőes".

Essas características servem a várias funçőes para quem assiste. Primeiro, como elemento diferenciador de outros programas, ao se contrapor por exemplo a outros programas, como o do Chacrinha (que o público do "Clube" deve considerar muito escachado e popularesco), Flávio Cavalcanti (intransigente demais e vivendo crise de credibilidade) e Sílvio Santos (que apesar do carisma năo perde o jeităo de vendedor bem sucedido). Airton e Lolita tem apenas simplicidade, humildade, espontaneidade para oferecer, embora isso năo impeça ao Airton de provocar algumas situaçőes, no mínimo hilariantes, como foi o caso da apresentaçăo do cantor Morris Albert,confundido pelo apresentador com a fábrica de cigarros Phillip Morris. Mas nesse caso, o aspecto anedótico ao invés de prejudicar serve mais como ajuda a imagem de espontâneo e simples do apresentador.

Embora năo seja na atualidade um campeăo de audięncia (na sexta-feira seis de agosto, dia das bodas do casal, o programa alcançou uma média em Săo Paulo de 17.6 no Ibope, enquanto um filme exibido pela Globo chegava a 39) nas capitais, ele consegue um público fiel e atencioso no interior e em outros estados distantes dos centros culturais de decisăo. A bondade de Airton que colabora para manter uma boa audięncia - uma das maiores da emissora - e que é destilada a casa sexta-feira já mereceu comentários como a da escritora Lilian Silva (?) numa homenagem realizada no Fazano, em 1968: "Ele deve dizer no seu íntimo: como é bom ser bom". O reconhecimento aos serviços prestados pelo Clube já foi também divulgado oficialmente pela Câmara Municipal de S.P. que o considerou o "Programa da família brasileira".

Assim, o programa de televisăo que há mais tempo esta no ar na América do Sul (Folha de S.P.) é também com certeza um dos mais envelhecidos. O seu concorrente mais ilustre em termos de longevidade - o "Ed Sullivan Show" - já desapareceu, embora tenha permanecido por 23 anos na TV americana. Um bom exemplo para quem acha que algumas coisas boas para os EUA podem ser boas também para nós.

No comments:

Post a Comment

Followers