Monday, May 10, 2010

1975 - Globo 10 Anos

Amiga TV
21/5/1975
Artur da Távola
===========



OS DEZ ANOS DA REDE GLOBO
No fim do męs de abril que passou, exatamente no dia 26, a Rede Globo completou dez anos de existęncia. Ao longo deste tempo, ela se categorizou, năo só empresarialmente, como, de uns cinco anos a esta data obtendo um sistema de televisăo de padrăo internacional em vários de seus programas. Poucas atividades industriais săo tăo complexas como a televisăo. Fábrica de bens de natureza subjetiva (os programas) ela se distingue das demais atividades exatamente sempre destinado a avaliaçőes de natureza pessoal. Uma fábrica de carros, de guardanapos ou de talheres, elabora um produto concreto, palpável, aferível segundo o material utilizado. Uma fábrica de programas, por maiores e melhores que sejam os insumos utilizados, sempre depende de resultados aleatórios em funçăo de reaçőes tanto objetivas como subjetivas do público. Nela, o produto é a cada dia diferente. Nada vale fazę-lo sempre igual, pois o consumidor (o público) se cansa com as fórmulas e está em permanente exigęncia de novidade. Este caráter subjetivo do bem produzido dificulta enormemente a organizaçăo interna da fábrica, onde além das máquinas, o material humano é fundamental. Numa fábrica de tecidos se o operário que opera uma determinada máquina năo serve, fica fácil substituí-lo. Mas se for uma empresa que trabalhe com computadores a coisa já dificulta, pois a operaçăo carece de inúmeros requisitos prévios. Em televisăo, cada passo, cada funçăo, cada uma das técnicas que se fundem num programa precisa de gente altamente especializada e competente. Uma peça que falhe e lá se vai o programa para o beleléu por causa do menor e menos aparente dos detalhes. Mas além desses técnicos, a organizaçăo interna de seus movimentos, as grandes linhas econômicas do empreendimento, o contato com a clientela, o conhecimento do mercado, a politica salarial, a assistencial, a técnica, as relaçőes internacionais, tudo enfim, que se movimenta para acionar uma máquina tăo complexa, necessita de altos conhecimentos técnicos. E, repito, para produzir bens que no fim das contas ainda receberăo o veredicto sempre subjetivo do consumidor o público, público este de infinitas variaçőes de gostos e atitudes segundo peculiaridades psicológicas, nível cultural, intelectual, estado emocional etc.

Ter chegado, portanto, aos dez anos, năo só com o ęxito, mas e sobretudo, com uma equipe formada que reúne grande parte do que há de mais competente na especialidade no Brasil, hoje fazendo escola, é um mérito dos maiores, uma glória que esta geraçăo de dirigentes e profissionais da Rede Globo, vai levar para suas biografias e para a história da televisăo brasileira nesta década. Outro ponto a destacar, a meu ver importantíssimo, é o de terem seus dirigentes, de uns cinco anos para cá, demonstrado a capacidade de năo se bastar com o ęxito e sabendo dosar a renovaçăo, exercitando duro critério critico sobre o já realizado. Ainda em entrevista recente Walter Clark conclama as pessoas interessadas, para este tipo de reflexăo. Só assim o ęxito năo marca o fim de uma etapa, mas o começo de outra, tăo difícil quanto a anterior. Nessa linha, ao saudar o excepcional resultado obtido por esta equipe competente e séria, eu gostaria de colocar o nível de exigęncia mais ŕ frente, lembrar os desafios adiante, aqueles a enfrentar na próxima década que, auguro e desejo, seja tăo grata e realizadora como a que ora termina. Basicamente eles săo dois: obter os mesmos padrőes já conseguidos, também na programaçăo infantil e juvenil e gradativamente dotar a Rede de um instrumental humano e cultural para transformar-se, pouco a pouco, naquilo que vai ser a televisăo do futuro: um centro gerador de estudos; de pesquisas; um centro formador de pessoas a nível universitário nas complexas tarefas da comunicaçăo, esta, a cada dia que passa, matéria de pedagogia, sociologia e psicologia, uma verdadeira universidade. Năo é um belo desafio, ŕ altura da equipe dirigente? Se é, măos ŕ obra, pois é só isso o que está faltando, após uma década de acertos.

No comments:

Post a Comment

Followers