Thursday, April 15, 2010

1983 - Chapelin no SBT, Silvio X Jota


Jornal do Brasil
15/4/1983
Roberto Jacob e Martha Baptista
--------------------------------------------


CIRANDA DAS ESTRELAS
Importantes mudanças começam a agitar o vídeo brasileiro. A primeira delas - năo por ordem cronológica, mas de impacto, na medida em que colheu todo mundo de surpresa - é a que vai levar Sérgio Chapelin da Globo para a Sílvio Santos. Locutor do chamado "Padrăo global", ele aceita o desafio de trocar a imagem estática, da cintura para cima, a que todos se acostumaram nos últimos onze anos, pela de corpo inteiro, que o obrigará a andar pelo palco, a fazer entrevistas, a lidar com os auditórios. Isto é, deixa o Jornal Nacional pelo Show Sem Limites e passa a ganhar cinco vezes mais (Cr$ 5 milhőes por męs). Outra mudança é a de J. Silvestre, que terá na Bandeirantes o pacote que Sílvio Santos lhe recusou: além de Cr$ 30 milhőes por męs por seu programa de pręmios, a chance de escrever uma novela a quatro măos com a mulher, Nívea. Moisés Weltman, que era um ativo membro do esquema do Sistema Brasileiro de Televisăo, vai ser diretor da TV Manchete. E Cidinha Campos, há tręs anos afastada do vídeo, reaparece, também na TVS, com A Mulher é o Show. Vai reformular o programa que Silvestre apresentava. Nele, a mulher como ser inteligente "e năo leviana, entregando pręmios vestida de maiô".

UM "SHOW" SEM LIMITE E DE CORPO INTEIRO - Por onze anos sua imagem esteve de tal forma presente na programaçăo do Canal 4 - Jornal Nacional, Globo Repórter e outros - que se acabou convertendo num dos chamados padrőes globais. No caso, de locutor. Ele e Cid Moreira, na verdade alunos da mesma escola, săo hoje mestres e ao mesmo tempo modelos dos apresentadores de telejornais. Como será a Globo sem Chapelin? E como ficará ele em outro vídeo?

- Meu tempo bíblico é de nove anos. Já estava na hora de mudar.

Tempo bíblico, portanto, vencido já há dois anos, pois em mesmo há onze que ele apresentava, todas as noites, tirando as férias, o Jornal Nacional, programa de maior audięncia na televisăo brasileira. Chapelin resolveu aceitar o convite do Sistema Brasileiro de Televisăo para, já a partir de segunda-feira, liderar o programa Show Sem Limite da TVS, até entăo dirigido por J. Silvestre, que passa a fazer um programa nos mesmos moldes na Bandeirantes.

Para Chapelin, a mudança é boa, năo só pelo desafio do novo - agora ele năo mais aparecerá só em meio-corpo, mas andará pelo palco, fará entrevistas, se movimentará muito, mas também pelo aumento de salário, que ficará cinco vezes mais gordo.

No apartamento simples de Copacabana, comprado sem muita facilidade há tręs anos (até entăo morava em Jacarepaguá), Chapelin recebe representantes de todos os órgăos de imprensa. De chinelos, tímido, mas sem formalidade. Quanto vai ganhar, năo diz, mas se ganhava Cr$ 1 milhăo por męs na Globo basta multiplicar por cinco: bem menos do que recebia J. Silvestre, a quem vai substituir: Cr$ 20 milhőes.

- Quero correr o risco de mudar - diz esse locutor de 42 anos, tręs filhos (Flávio, 18 anos; Luciana 16, e Sérgio Luiz, 15) e um enteado (Jorge, 11), filho da mulher Regina. - Quero ver no que vai dar. Para ser animador de programa de TV ninguém precisa ser vulgar ou grosseiro responde a uma referęncia a seu jeito requintado, bem diferente do padrăo mais desenvolto dos comunicadores. - Se sua participaçăo for sincera e correta, as pessoas văo avaliar bem o seu trabalho.

Sérgio Chapelin começou sua carreira em Valença (RJ), onde nasceu e fez programas de auditório. No Rio, trabalhou nas Rádios Tamoio, Nacional (como locutor comercial do Programa Paulo Gracindo) e na JORNAL DO BRASIL, nesta por nove anos. Começou a ler noticiário exatamente na JB. Um curso de teatro o deixou "meio hippie", segundo ele mesmo. De repente, virou professor de teatro e chegou até a dar aulas. Um convite e alguns testes, e Sérgio Chapelin foi convidado para ser locutor da TV Globo, em 1971.

- Nesta época - lembra - os telejornais exigiam muito dos locutores, porque era texto e mais texto, com pouquíssima imagem. Meu maior acidente aconteceu com um acidente: um aviăo caiu no Rio e eu tive que ler 20 nomes de japoneses que morreram.

De rádio ao ouvido e com a atençăo presa ao telefone, ele dá uma entrevista ao vivo. Sua voz é elogiadíssima e provoca o assédio constante de făs ardorosas. Daí os inúmeros convites para trabalhar em "festas de personalidade": apresentar formaturas, desfiles de moda, festas de debutantes e até inauguraçăo de uma siderúrgica ou uma piscina.

A televisăo é um veiculo extraordinário - diz Sérgio. Ganhei popularidade e a possibilidade de conseguir algum dinheirinho. Sempre tive uma relaçăo boa com meus colegas e diretores - sempre fui bom profissional, bom funcionário. Meu diretor na Globo, Armando Nogueira, comportou-se cordialmente na minha saída. Já pedi a liberaçăo do meu aviso prévio. Minha situaçăo agora depende da empresa.

O novo programa Show Sem Limite será gravado ŕs segundas-feiras, em Săo Paulo. Sérgio năo precisará sair de Copacabana. Continuará próximo a seus quatro filhos, a sua mulher e aos audiovisuais, documentários e comerciais que costuma gravar no Rio, sem falar dos programas da Rádio Ministério da Educaçăo e Cultura.

Sérgio Chapelin acha que vai ter jogo de cintura para estar ŕ frente de um show de variedades. E lembra que seu primeiro trabalho na televisăo foi como ator: fez uma ponta em Otelo, de Shakespeare.

(Em Săo Paulo, o diretor da TVS, Luciano Callegari, năo quis dizer quanto a emissora pagará a Chapelin, afirmando somente que "para os padrőes da casa, é uma contrataçăo cara".)

NOS CORREDORES GLOBAIS., A SURPRESA DOS COLEGAS - Cerca de 19h30min de quarta-feira. Yolanda Cardoso, a Alda Maria de Louco Amor, entra no estúdio A da TV Globo, onde se gravava a novela de Gilberto Braga, e diz: "Gente, tá um zumzum-zum incrível no corredor. O Sérgio Chapelin pediu demissăo em caráter irrevogável". O clima agitou-se, todo mundo querendo saber por que e para onde iria o locutor. Yolanda se lamenta com os colegas de novela:

- Puxa, no meu texto tem uma fala em que eu afirmo que a voz de um personagem é tăo bonita quanto a do Chapelin. Agora vou ter de trocar, vou dizer que é como a do Cid Moreira.

Nesse momento estăo todos os funcionários andando pelos corredores, buscando maiores informaçőes sobre a salda do locutor. No terceiro andar, na redaçăo do Telejornalismo, Chapelin conversa com a equipe, explicando seus motivos.

- Foi uma proposta irrecusável da TVS, tanto do lado profissional quanto financeiramente. Eu conversei com o Armando Nogueira e ele entendeu minha posiçăo. Saio bem com todo mundo.

Logo em seguida, Sérgio apresentou o Jornal Nacional, ao lado de Cid Moreira. Ŕ saída, foi assediado por dezenas de repórteres e fotógrafos e brincou: "Puxa, vocęs querem uma coletiva?". E entăo contou que já vinha mantendo entendimentos com Luciano Callegari, diretor da TVS, há cerca de 15 dias, e este lhe disse que só daria resposta definitiva na próxima semana. Por isso, espantou-se na noite de terça-feira quando, ao chegar em casa, o advogado da TVS já estava ŕ sua espera com um contrato exatamente nas bases que ele queria.

Com a entrevista no meio do corredor começou a juntar muita gente. Cid Moreira se aproximou e fez questăo de lhe apertar a măo:

- Olha aí, pessoal: registrem que eu estou desejando muito sucesso aqui para o Sérgio.

O substituto de Chapelin será Celso Freitas, hoje apresentador do Jornal da Globo.

UMA NOVELA A QUATRO MĂOS E MAIS 10 MILHŐES

SĂO PAULO - O apresentador J. Silvestre abandonou a TVS, acertando com a Bandeirantes. Esta deve pagar-lhe Cr$ 30 milhőes (Cr$ 10 milhőes a mais do que na TVS), comprar seus programas de pręmios e permitir que ele escreva uma novela a quatro măos com sua esposa, D Nívea, exatamente todo o pacote que Sílvio Santos rejeitou para năo ter um concorrente dentro de sua própria emissora. Pelo menos é o que afirma Waldemar de Moraes, diretor do programa de Silvestre, Show sem Limite, além de seu amigo pessoal desde 1945, quando começaram na Rádio Bandeirantes.

Waldemar de Moraes năo entende o que o amigo fez com ele: "Eu era diretor do programa por escolha dele mesmo, e me sinto prejudicado profissionalmente com o seu abandono intempestivo, sem ao menos um telefonema". O apresentador J. Silvestre está proibido de dar declaraçőes ŕ imprensa pela TV Bandeirantes, segundo informa o Diretor de Comunicaçăo dessa emissora. Geraldo Tassinari, "até o dia, 20, quando haverá uma coletiva para a imprensa", explica.

O Diretor do Núcleo de Novelas da TVS e do programa Show sem Limite, Waldemar de Moraes, tem certeza de que "a saída do J. Silvestre se prende a negócios. Ele queria que a TVS assumisse uma novela que ele está escrevendo com sua mulher; além disso, a novela, segundo ele próprio, é apenas chamariz para outros negócios, pois Silvestre tem uma firma que vende programas de pręmios. O Sílvio Santos sentiu que iria sofrer concorręncia dele.

Waldemar de Moraes sente-se traído pelo amigo, pois em momento algum, naquele 4 de abril, J. Silvestre telefonou para o diretor avisando-o de que faltaria ao programa. Naquele dia, a convidada do quadro Esta É a Sua Vida era a atriz de cinema Florinda Bolkan, que estava acompanhada de parentes, amigos e dos cantores Fagner e Belchior, entre outros.

- E o J. Silvestre simplesmente năo apareceu. No dia seguinte, me telefonou, dizendo que sentia muito, mas năo ia mais comparecer ao programa, sem dizer os reais motivos dessa conduta - conta Waldemar. Na quarta-feira, dia 6 ele me procurou, confirmando sua atitude de năo mais apresentar o programa e dizendo que seu advogado já havia entrado com um pedido de rescisăo de contrato com a TVS. O J. Silvestre, como todo mundo sabe, passava os fins de semana em sua casa em Itanhaém, chegando algumas horas antes do programa para ler o script. Naquele dia 4 de abril cansei de telefonar-lhe, sem resposta. Creio que isso năo se faz com um amigo de quase 40 anos.

A surpresa de Waldemar de Moraes é ainda maior por ter sido ele justamente quem aproximou J. Silvestre da TVS e de Sílvio Santos quando o apresentador já estava de passagens compradas para a Florida, onde vivia anteriormente. A Globo mostrou interesse em contratá-lo quando ele apresentou o programa Esta E a Sua Vida com Renato Aragăo. Mas, a Globo năo resolvia lhe dar o salário que queria, ele resolveu embarcar de volta aos EUA- "Fomos nós que fizemos ele permanecer aqui e agora ele faz isso. É triste. Ele poderia sair, mas năo dessa maneira".

TRĘS ANOS DEPOIS, A MULHER INTELIGENTE - Cidinha Campos vai voltar ŕ TV. Afastada do vídeo desde sua participaçăo em Aqui e Agora (TV Bandeirantes) há tręs anos, ela foi convidada pela TVS para apresentar A Mulher é um Show (terça-feira, 21h) em substituiçăo a J. Silvestre, mas por năo gostar da forma como a mulher é colocada no programa năo aceitou e agora tem carta branca para bolar o seu próprio. Cidinha, que năo tem pressa para apresentar seu projeto ŕ direçăo da TVS, năo quis revelar muito sobre seus planos; contou apenas que pretende usar "uma velha idéia", que o programa deverá ser ao vivo e realizado no Teatro da TV, no Rio, onde é gravado O Povo na TV. Só năo sabe se a TVS aprovará o projeto por depender da contrataçăo de outros profissionais. Por exemplo, ela gostaria de ter na produçăo a jornalista e ex-deputada Heloneida Studart, que já participa do seu programa na Rádio Tupi. "Vou fazer um programa para homens e mulheres com a presença de mulheres inteligentes", afirmou, após criticar a maneira como A Mulher é um Show coloca a mulher: leviana, fazendo sorteios e entregando pręmios de maiô.

No comments:

Post a Comment

Followers