Sunday, January 3, 2010

1982 - Raul Gil sucessor de Silvio Santos??

Jornal do Brasil
Data de Publicação: 13/6/1982
Autor: Alberto Beuttenmuller



De vendedor de pastéis a substtuto oficial de Sílvio Santos

Caso Sílvio Santos pare, por estafa ou doença, o substituto na apresentação de seu grama será Raul Gil, de acordo com cláusula contratual entre o SBT e o animador do Sábado Especial.

Raul Gil faz essa revelação em meio a uma conversa, como se não significasse muito ser substituto de seu mestre. Mas a verdade é que o menino, filho de imigrantes espanhóis, que vendia pastéis em Vila Prudente, São Paulo, para sustentar a família, tem o maior orgulho do caminho que percorreu.

- Eu era pobre - confessa - meu pai foi um pouco de tudo no Brasil. Sabe como é, imigrante é fogo. Estudei no círculo operário de Vila Prudente. Comecei me interessando em cantar. Tinha boa voz e cantava boleros. No início fui gongado 17 vezes, mas não perdi as esperanças e hoje estou aqui.

O menino Raul venceu: é hoje um dos maiores salários da TV.

- Creio que recebo o maior salário - confessa Raul.

São Cr$ 2 milhões 300 mil fixos, mais algumas comissões que o levam a ganhar, em média, Cr$ 3 milhões. Sua casa, no bairro classe A de Chácara Flora, tem piscina, lareira e os objetos mais diversos, ouvenirs de viagens pelo mundo afora, notadamente da Espanha, onde sua esposa e filhos estiveram há pouco tempo: há toureiros, sombreiros, cartazes de touradas, de tudo um pouco.

O pai de Raul Gil, o velho José, era de Múrcia, região da Espanha famosa pelos frutos do mar. Sua mãe, Esperanza Leocádia Gil, era de Málaga, Capital da Andaluzia. Daí essa sua ligação com a Espanha e este seu ar de toureiro na arena a dominar touro bravio.

Raul tinha mais nove irmãos e durante sua infância e adolescência a vida sempre foi difícil. Sua irmã Carmem Gil Libertad cantava como Liberdad Lamarque. Ela e Raul eram as duas vocações artísticas - e portanto a esperança - da família. Mas Carmem morreu e só sobrou Raul para tentar a sorte.

Aos 21 anos, em 1959, Raul Gil se casou com Carmen Sanchez, paixão de infância descendente de espanhóis como ele. Era mero datilógrafo de uma empresa de transportes, sonhando ser torneiro mecânico. Acabou trabalhando numa empresa de ônibus, como lavador, na expectativa de, quem sabe, tomar-se mecânico, "uma profissão considerada rendosa naquele cortiço onde a gente vivia".

- Eu era tão magro que meu apelido era Esqueleto - lembra Raul Gil. Também me chamavam de Esqueleto Andante e de Galo Cego, mas Esqueleto foi o que ficou.

Naquela época, Raul Gil cantava no programa de Hebe Camargo, na Record, no de Hélio Araújo no de Salomão Esper. Imitava Gregório Barrios, até hoje, consegue imitar este cantor com perfeição. Seu início de carreira faz com que hoje Raul Gil tenha um carinho especial por calouros, em seu programa semanal.

Hoje, com 44 anos, dois filhos - Raul Gil Jr. e Nanci - o apresentador começa a ter saudades dessa época. Na Rádio Record conseguiu seu primeiro contrato, depois de ter feito uma verdadeira maratona em um programa Alegria dos Bairros - da mesma emissora.

Raul Gil ia e esperava por horas a sua vez, "caso desse, pois muitas vezes ficava sentado e não conseguia uma oportunidade de subir ao palco. Era uma espécia de regra três, ficava no banco de reservas".

Não há mágoas. Geraldo Blota era o animador e acabou como seu padrinho. Raul foi contratado por 5 contos, quando o salário mínimo era de 9 mil contos. Assinar este contrato foi importante: no mesmo dia, 11 de dezembro de 1960, nascia sua filha mais velha - Nanci - hoje com 22 anos e participante de seu júri.

A vida corria solta, mas o dinheiro não dava. Raul Gil foi convidado para um show em Pereira, no interior de São Paulo por um coronel que o ouviu em mesa ae bar. Ele imitava o Mazzaropi e alguns cantores de fama, como Vicente Celestino e Cauby Peixoto. Em Pereira, "a casa veio abaixo. Consegui ficar três dias por 20 mil contos, uma fábula naquela época.

De volta a São Paulo, Raul percebeu que o contrato com a Record até atrapalhava. Por isso começou a fazer espetáculos em boates, "onde aprendi mesmo a ser apresentador".

- Acabei o maior ídolo do Nordeste. Quando estive lá pela primeira vez foi uni vexame, pois imitei o Mazzaropi e ninguém conhecia o tipo por lá. Tomei um susto. Depois, quando o Mazzaropi esteve lá, perguntaram: "Quem é esse cara que imita o Raul Gil", conta.

Raul Gil foi contratado, no final dos anos 60, pela extinta Excelsior, substituindo Zé Vasconcellos, que se desentendem com os responsáveis pelo programa. Com a música Pára Pedro, Pedro Pára fez o maior sucesso.

- Sabe, hoje só perco para o Chacrinha no Rio, pois nos demais Estados ganho fácil. Tenho cerca de 20 pontos no IBOPE. O Chacrinha me vence no Rio por cinco pontos - diz orgulhoso.

Católico, mas admirador também da Seicho-no-Iê (seita japonesa) e do espiritismo, Raul Gil confessa que a grande crença é Nosso Senhor Jesus Cristo". Além de Cristo, está agradecendo ao Sílvio Santos, ao Luciano Calegari e ao José Abraão, a cúpula do SBT.



Raul Gil está muito longe do pequeno pasteleiro dos bairros operários de Ipiranga e Vila Prudente. Mas continua simples, e carismático, apaixonando inclusive velhinhas de 80 anos, como foi o caso de dona Mariana:

O médico chegou a pedir para que eu fosse à sua casa, pois a mulher estava mal, de paixão por mim. Fui e a beijei. Ela saiu de braços dados comigo. A tem dessas coisas - conclui.

TRÊS QUADROS FIXOS E MUITA CRIATIVIDADE

O Programa Raul Gil, com duração de uma hora, se divide em três quadros principais: o que é o que é, Calouros com Raul Gil e Show de Cartas e Cartazes. A ordem desses quadros muda, conforme a vontade do animador.

O que é o que é? - Depois do sorteio de um assunto - por exemplo, salão de beleza - escolhe-se uma letra-chave. Os convidados do programa têm, então, que descobrir nomes de coisas existentes num salão de beleza que se Iniciem com aquela letra. Aquele que não conseguir recebe como vala a musiquinha: "Raul Gil perguntou: você não acertou / pega o seu banquinho / e sai de mansinho". O convidado sai de cena, levando o banquinho de plástico no qual estava sentado, terminando aqui sua participação. Quem vencer recebe uma espécie de cheque no valor de Cr$ 10 mil, válido nas Lojas Tamakavy ou no Baú da Felicidade.

Calouros Raul Gil - É um quadro importante do programa já que o Próprio Gil começou sua carreira como calouro.

No Programa Raul Gil o calouro passa por um júri composto por Jorge Mascarenhas, Virgínia Lane,Daysi Lúcidi, Ary Toledo, Zélia Martins, Augusto Liberato (Gugu) e Nanci Gil, filha do animador. Ha neste quadro, tronos para "música antiga", "música atual"," trono Infantil" e "dublagem". Os Calouros recebem notas dos jurados e o prêmio é sua própria participação.

Cartas e cartazes - Antigamente este quadro se chamava Quatro ases e um coringa. Os convidados eram quatro bons cantores o um superastro (o coringa). Como houve reclamação dos participantes de que havia uma concorrência entre os artistas, o nome foi trocado para Cartas e Cartazes. Os convidados do Raul Gil ficam escondidos atrás de um cartaz que reproduz uma carta de baralho, criando suspense na platéia.

CAFONA E DIVERTIDO, UM SUCESSO NA CLASSE C

Para uns cafona e popularesco, para outros apenas gostoso, o Programa Raul Gil, no mesmo estilo do de Sílvio Santos, é sucesso junto à classe média baixa. Seu público é principalmente infantil: são as crianças que enchem o auditório do Cine Sol, em São Paulo, nos dias de gravação.

Para Raul Gil, a qualidade do programa varia muito, dependendo das suas atrações:

- As vezes temos bons cantores, gente da linha de frente; às vezes eles não podem vir, e o programa se toma um pouco mais fraco. Hoje tivemos o Aguinaldo Timóteo - explica o apresentador.

- O programa cai um pouco para o cafona - diz a escriturária Rute Camargo, espectadora frustrada depois de assistir a gravação do programa pela primeira vez.

Rute de férias, sem ter o que fazer, saiu do Tatuapé, bairro de operários, onde mora, para ir ver pela primeira vez a gravação do Programa Raul Gil. Rute trabalha em um consórcio de automóveis e já foi balconista. Sempre teve a curiosidade de ver um programa ser gravado, como as coisas aconteciam, quem eram as pessoas que lá estavam.

- Cheguei aqui às 8h, pois o programa começa às 9h. Vi que só tem crianças. Todas dessa Escola Tereza Dorotéia. É gente pobre. Creio que elas pagam suas presenças com as palmas que batem sob o comando daquelas duas senhoras. Para quem vê, é decepcionante, não é mesmo? - diz.

A menina a seu lado acabou sentando em seu colo. Seu nome é Sandra Costa. Ela mora em Burgo Paulista, região mais conhecida como pra lá da Penha". Seus olhos são vivos. Pula e grita muito, subindo, ora na cadeira, ora no colo de Rute. Elas não se conheciam, mas a proximidade das cadeiras e o clima do programa colocaram uma diante da outra. Rute ficou com pena e acabou acariciando os cabelos de Sandra, que sorriu. As duas são amigas agora.

- Eu gosto mesmo é do Robogildo. Acho o programa gostoso, parecido com a Disneylândia. Não tenho mais o que dizer - explica lacônica a menina Sandra.

O programa é mais forte do que ela. A cafonice de que fala Rute faz parte do seu mundo, de sua casa, de sua própria escola.

FIM DO SEGREDO: O ROBO E MARCOS

O segredo do Robogildo acabou. Quem está dentro de toda aquela lata é o sobrinho de Raul, filho de sua irmã Lúcia, Marco Antônio Ricciardelli, o Marquito. Marco Antônio tem 22 anos e já deixou de estudar. Fez apenas o ginásio e abandonou a escola em busca de fama e dinheiro. Preferiu fazer shows em boates e "por aí afora", seguindo as pegadas do tio famoso.

- Dentro dessa lata faz muito calor. Poucos sabem disso, mas agüento porque gosto muito de brincar com crianças. Não ganho muito, mas dá para salvar o cinema com a namorada, aos domingos, naquelas matinês nos famosos cines poeira.

Pois é justamente em um cinema desse tipo que é gravado o Programa Raul Gil, ponto de encontro dos jovens classe C.

- Gosto de fazer dublagem cômica. Apareço também no Sílvio Santos. No programa do Raul Gil, eu faço apenas o Robogildo brincando com os convidados, me rebolando; a voz é do Marco Lane, que fala de um microfone no meio do público, mas fora do alcance das câmeras.

- Eu também gosto de pintar quadros - diz.

O que ele chama de quadros são as reproduções, em veludo, de imagens de Cristo, que ele faz e vende no Embu. e na Praça da República, tradicional desde os tempos dos hippies. Seus temas prediletos, além da figura de -Cristo, são os palhaços e os animais. ,

- Gosto de futebol e torço para o Palmeiras, mas agora o time está muito ruim e é melhor vibrar com a Seleção Brasileira - diz Marquito.

Marco Antônio jamais saiu de São Paulo, "a não ser uma vez que fui até o Rio, para conversar com o Costinha. Mas não deu para conhecer muito. Ele me mostrou as boates e as transas de praia. Gostaria de conhecer o Rio mais devagar", - finaliza Robogildo.

_____________________________________________________
..........................................................................................................
..........................................................................................................

No comments:

Post a Comment

Followers