Friday, January 1, 2010

1978 - Embrião da RBS

Coojornal
Data de Publicação: 1/10/1978




TV: BRIGA PELO MERCADO DO EXTREMO-SUL
O título de Amigo do Rio Grande, conferido ao governador nomeado do Paraná, Ney Braga, ex-ministro da Educação, pelo grupo gaúcho, Rede Brasil Sul de Comunicações, aparentemente não passaria de um simples registro de página inteira no início de outubro, no jornal Zero Hora. Por trás dele, entretanto, há uma jogada empresarial do senhor Maurício Sirotski, diretor-presidente da RBS, que dá andamento a seus sonhos de expansão nos três Estados da região sul do Brasil.

Proprietário de nove canais de televisão no interior gaúcho (Caxias, Bagé, Pelotas, Uruguaiana, Rio Grande, Santa Maria, Erexim, Cruz Alta e Passo Fundo), mais o Canal 12 em Porto Alegre, (ligado à Rede Globo), além de quatro emissoras de rádio (Gaúcha, Metrópole, Porto Alegre e Gaúcha-FM), Sirotski agora quer concessões no Paraná. E para isso, certamente, boas relações com Ney Braga serão muito úteis.

Em Santa Catarina, onde deve colocar no ar a TV Catarinense, em meados do próximo ano, Sirotski já fez a indispensável ponte para entrar também no Paraná. Ele já comprou a concessão de Joinville, que era de um grupo de empresários locais, e briga com o grupo paranaense do industrial Mário Petrelli - muito ligado a Ney Braga - (dono da TV Coligadas, de Blumenau e Jornal de Santa Catarina) para conquistar o terceiro canal de Florianópolis, a TV Barriga Verde. Enquanto isso, Petrelli já trata de garantir o canal da cidade de Lages.

Mas com a entrada no ar da TV Catarinense, Sirotski deverá atingir diretamente a TV Coligadas, do grupo de Mário Petrelli, uma vez que esta tem contrato com a Rede Globo somente até junho de 1979. E como ninguém acredita na possibilidade de a TV Catarinense ficar sem a programação da Globo, como ficaria a situação da Coligadas, futuro canal de Lages e talvez o outro, de Florianópolis?

Espera-se, então, por novos lances. Da parte de Sirotski, evidentemente - que deverá jogar novas cartas na mesa, nos próximos meses, obstaculizando, ou pelo menos tentando fazer isso, com relação ao grupo Petrelli. Mário Petrelli, homem forte no Paraná, amigo de Ney Braga - é dono de três emissoras de rádio e um canal de televisão - associou-se ao Diário do Paraná. Por isso os estupefatos catarinenses ligados ao rádio e à televisão acreditam que não foi um mero acaso a concessão do título de Amigo do Rio Grande ao governador nomeado do Paraná, Ney Braga. Sirotski já teria feito sua jogada mais forte, comentam.

Mas a briga não pára por aí. Também no setor de rádio e imprensa ela já tem seus reflexos. Em fins de setembro, dava-se como certo em Porto Alegre que a RBS comprara a Rádio Diário da Manhã, de Florianópolis. Na capital catarinense, o diretor da rádio, coronel Alcides Simões, afirmava, entretanto, que o grupo de Mário Petrelli, que já era sócio na emissora, havia adquirido o controle acionário. Além disso, com a transferência do maquinário antigo do jornal Zero Hora para Florianópolis,a guerra do gigantismo das comunicações passa também para o setor impresso. Petrelli tem o Jornal de Santa Catarina, que já foi o melhor do Estado - mas que hoje não passa do jornal oficioso do governo.

No meio de tudo, os empresários catarinenses estão perplexos com a situação, assistindo em posição um tanto incômoda a luta entre gaúchos e paranaenses. Tanto é assim que Darcy Lopes, diretor da TV Cultura, de Florianópolis, teria tentado passar o controle da emissora à Companhia Jornalística Caldas Júnior, de Porto Alegre, que não aceitou.

_____________________________________________________
..........................................................................................................

..........................................................................................................


No comments:

Post a Comment

Followers