Monday, January 4, 2010

1973 - Chico Anysio, o sociólogo do humor

O Globo
Data de Publicação: 9/1/1973
Autor: Artur da Távola





''CHICO CITY': A VOLTA DA SÁTIRA EM GRANDE ESTILO
Quando o último programa da série "Chico em Quadrinhos" foi ao ar, há dois meses, estrilei daqui, severo. Não era o Chico Anísio de sempre. Não era a produção habitualmente cuidada e bem elaborada da Rede Globo.

Sai não sai da emissora; fica não fica, ficou. E estreou sua "Chico City" sexta passada, programa agora semanal. Respirei aliviado. Voltou o Chico Anísio de sempre, talentoso, solitário cavaleiro do bom-humor!

"Chico City" dá oportunidade a Francisco Anísio Vianna de Oliveira Paula de realizar o que sabe como ninguém: a captação de tipos e situações retirados da realidade sociológica do nordeste brasileiro.

O que no humor de Jó Soares (o outro bamba) é penetração psicológica, em Chico Anísio é sociológica. Jô esquadrinha o patético da existência, trabalhando sobre comportamentos individuais. Chico funciona na base da observação de tipos existentes em determinados contextos sociais.

"Chico City" é a cidade onde coloca personagens e situações retirados do interior brasileiro, caricaturado, é claro.

Lá estão presentes traços claríssimos de tipos existentes: o prefeito; o velho caçador mentiroso; o oposicionista eterno, falastrão e metido a intelectual; a "moral" do interior e suas falácias; o serviço de alto-falantes com suas músicas dedicadas a alguém; demais personagens componentes dessa micro-realidade municipal.

Ao retratá-la, Chico Anísio joga com enorme habilidade sua crítica social na configuração dos personagens, lançando a graça no texto e nas situações como naquela nordestiníssima cena de amor entre o prefeito e sua gorda mulher, na qual o afeto é expresso em forma de agressão e as palavras de alcova são emitidas em tom de briga, terminando o colóquio, sempre, com a parruda e carnuda dama desafiando o marido para decidir a pendenga na queda de braço. Notável!

No programa entram alguns "cacos". Aqui enfio a crítica: apesar de um dos seus pontos altos ter sido uma, sensacional imitação feita por Chico de Caetano Veloso;. gozando, de passagem, a idolatria por ele despertada, apesar disso, eu dizia, nesses "cacos" entram atores e situações merecedores de alguns puxões de orelha.




É que há grande diferença entre a presença de Chico como ator e a dos demais. Estes (com exceção de Sônia Mamede e da atriz que faz o papel da mulher do prefeito) saltam para a palhaçada, para os esgares de humorísticos grosseiros e ultrapassados, exageros, caretas, berros. Jamais, conseguem penetrar na atmosfera sutil e crítica concebida para o programa. É problema de direção e de uso de melhores atores.

''Chico City" é humor de alta qualidade, simples, linear e acessível na forma: crítico, satírico e nacional no conteúdo, Bom programa, ao qual a Globo deve dar mais recursos, a fim de que a cidade "exista", em vez de ser desenhada na cenografia.

Existindo, viverá, crescerá e ganhará o reconhecimento público, podendo constituir-se numa renovação total do humor em nossa TV. É o que espero, aplaudindo a estréia, e por isso mesmo exigindo mais ainda. Quem pode o mais, pode o menos.

_____________________________________________________
..........................................................................................................
..........................................................................................................


No comments:

Post a Comment

Followers